top of page
Buscar

o silêncio da morte para a vida

A ressurreição assim como o reino são simbolismos a consumar nesta vida. A nossa transcendência divina só é longínqua para o ego. A partir de uma vida interior de esvaziamento, dá-se a revelação. Tudo se converte num fluir contínuo, como derramamento de possibilidades a se criar uma nova vida, plena de substância primordial, onde a dor é a sacralidade selvagem que toca na nossa pele e ossos; e o sofrimento a ser transfiguração humana. Cabe-nos a nós a responsabilidade de trilhar uma via sagrada e humanizada, nesse caminho da nossa própria humanidade, entre as forças propulsoras e antagónicas com que a vida se apresenta. Entre os pilares do desapego, do perdão e aceitação, do amor e compaixão, em prol da "obediência" ao nosso caminho de verdade (dharma) e autenticidade, ainda que para tal, a nossa verdade possa desapontar quem nos vê pelos olhos do que espera, e não do que somos! Sejamos autênticos. Esse é o caminho da transformação e renascimento! Talvez o silêncio da morte nos sirva como impulso a viver quem realmente somos!


Dispormo-nos a mergulhar no simbolismo de Jesus Cristo, é dispormo-nos a ressuscitar a sua mensagem em nós. Da noite escura de Cristo, o silêncio do sábado traduz-se num tempo de gravidez, que servirá a brotar uma nova vida. O sepulcro, como ventre, gesta a metamorfose da carne e do espírito. Tudo está grávido a ressuscitar! Cristo renasce das entranhas da terra, como berço da vida, para nascer de novo. Uma alteridade que se renova na nossa alma, na nossa humanidade. Tudo se apresenta novo, ainda que aparentemente tudo se apresente como sempre foi, há uma matéria interna disruptiva que quebra com o sepulcro de uma vida morta onde temos vivido, para revelar o ser que ressuscitou, e que somos. E nela, temos a imagem de Maria Madalena, mulher, como figura da passagem para uma Nova Vida. O princípio feminino e primordial da Vida - o Espírito Santo🌹


Tudo serve de linguagem e simbolismo aos estágios da nossa alma, que caminham junto às estações da natureza e da vida, para unificar os princípios feminino e masculino, a renovar e cristificar a nossa humanidade. Nessa espiral, lá vamos ascendendo ao reino, que está em nós... nesta vida (se para tal nos dispormos)! Nestes princípios está o Yoga!


Feliz Páscoa 🪺

Sophia 🌹




21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page